De todos os dias.

 

Somos mais de sete bilhões de seres humanos neste planeta.

Somos todos carentes,
Somos todos interdependentes.
Somos todos corações abertos, expostos, vulneráveis, sedentos de amor.

Damos. E recebemos.
Trocamos.
No amor, sempre trocamos.
E isso é pura gratidão. Oportunidade de aprendizado, de expansão.

Somos muitos e precisamos uns dos outros. Somos todos um. Todos, nós.

E eu?
Sou seguro, sou confiante, sou calmo, sou leve, sou livre. Sou eu, aqui. Em mim. Na minha paz. E no meu amor.
E troco com quem quer, com quem topar, com quem… Trocar. Trocamos.

Ansiedade? Medo? Controle? Insegurança?
Não servem para nada. Absolutamente, nada.
Nada me pertence.
Sou leve. Só tenho a mim mesmo, desde que fui criado.

Sou eu… Livre. Leve. E solto.

O futuro, ao mistério pertence.
O mistério é soberano.
E o tempo, também.
Nunca ganho tempo. Nunca ganhei tempo. E nunca ganharei tempo.
Nunca perco tempo. Nunca perdi tempo. E nunca perderei tempo.
Porque o tempo… É soberano. Como o mistério.

Então, eu entrego.
Eu confio.
E eu aceito, o que tiver que ser.
Sem nenhum medo. Sem nenhum controle. Pois não controlo. Nunca controlei.

Sou livre. Leve. Solto…

Solto… Me solto…
Para sempre continuar bem comigo aqui, na minha segurança, na minha confiança, na minha calma, na minha soltura, na minha leveza e na minha liberdade.
Isso tudo de bom, sim, está em mim. São meus merecimentos… Sou eu.

E assim, diariamente, repouso na minha calma. Acolho a minha alma. Grato.

Eu, comigo.
Aqui, agora.
Hoje…
E sempre.

É o que vive.